A FxGxOx (Fucking Gore Orgasm) iniciou suas atividades em 2007 na cidade de Lages/SC. Desde então lançou duas demos-ensaio e tocou em algumas cidades de Santa Catarina. Atualmente se concentra para produzir um novo material, e Rafael Tizzato, guitarrista e um dos fundadores da banda, nos concede essa entrevista onde dá mais detalhes sobre a história e os planos da FxGxOx.

Entrevista feita por Carrascu e publicada no dia 08/11/2009
Carrascu: O FxGxOx é uma banda relativamente nova, começou em 2007, com membros que tocaram em outras bandas da sua região, em Lages/SC. Nos comente mais sobre como a banda surgiu, suas pretensões iniciais, os primeiros ensaios e como se conheceram.
Rafael: Já eramos amigos de tempos, eu havia tocado com o Porco na Ovários, foi ele que idealizou a FxGxOx em 2006 mas em mente era apenas um projeto. Depois de um certo tempo eu, Isaque e o Philipe aderímos a idéia e começamos os ensaios criando os primeiros sons, mais puxado para um simples Porngore, com letras idealizadas pelo Porco.
Carrascu: FxGxOx era uma abreviação de Feculent Gore Orgasm, porém a banda decidiu recentemente mudar o significado dessa abreviação para Fucking Gore Orgasm. Nos explique os motivos que levaram vocês a mudarem de nome?
Rafael: Achamos que Feculent Gore Orgasm um tanto massante, já que existe banda com nomes semelhantes. Pode ser Fucking Gore Orgasm, Fucking GOre também, chamamos apenas de FxGxOx sem preocupar-se muito com isso.
Carrascu: Quais foram os motivos que levaram o vocalista Porco ter deixado a banda nesse ano?
Rafael: Questões de incompatibilidade musicais e de temática das letras, mas nada pessoal, segue amigo da banda.
Carrascu: Os membros tocam em outras bandas ou todos se dedicam exclusivamente a FxGxOx? Se tocam, como lidam com questões de tempo e conflitos de agenda?
Rafael: Sim, atualmente eu toco também na Insulto Urbano (Metal PunkHC), e junto com o Isaque e o Philipe voltamos com a Lamúria (Death/Doom). Por enquanto não encontramos muitos problemas na questão de tempo, apesar da correria. FxGxOx é prioridade.
Carrascu: As letras das músicas são escritas por quem? Como é o processo de composição dos sons da FxGxOx atualmente?
Rafael: As letras são escritas pelo Edgar, abordando temas como violência do homem sobre o homem, ironizando-os com suas idéias morais. A parte instrumental é composta no ensaio com todos, cada um vai colocando suas idéias nas músicas, sem individualismo.
Carrascu: Vocês já lançaram duas demos-ensaio, nos comente mais sobre esses materiais, suas distribuições e repercussões por onde foram ouvidas.
Rafael: Optamos pela demo-ensaio por enquanto, para uma espécie de distribuição manual, após shows, de mão em mão mesmo. Pretendemos fazer uma divulgação maior após gravar um material mais profissional de melhor qualidade.
Carrascu: Com a mudança na formação, o som da banda também mudou ou continua mais calcado no Goregrind?
Rafael: Mudou um pouco sim, estamos expandindo mais o som da banda, sem nos preender a rótulos. Escutamos Goregrind, Grindcore, Death Metal, HC Old School... e usamos tudo isso nos nossos sons.
Nas músicas mais novas, a temática em sí despreendeu do Porngore, passando para algo mais sério, sombrio, agressivo e violento, tais como bandas de Death Metal Old School usam.
Carrascu: Depois de duas demos-ensaio, quais são os planos da FxGxOx em termos de lançamentos de novos materiais? Virá outra demo-ensaio ou dessa vez algo mais bem produzido surgirá em breve?
Rafael: Não faremos mais demo-ensaio, dessa vez pretendemos fazer algo mais profissional e com uma produção melhor para correr atrás de selos e ter uma divulgação maior.
Carrascu: Quais foram as melhores apresentações da FxGxOx e aproveite o assunto sobre shows para divulgar a atual agenda da banda.
Rafael: Para mim a melhor apresentação aconteceu no Bar do Professor em Palhoça, pela energia que a galera passou. Tão bom quanto essa, foi no Balli Bar aqui em Lages, a aparelhagem do show era de primeira, com os amigos e camaradas da banda apoiando direto.
Temos duas datas no Subterrâneo Club aqui em Lages, com outras bandas de Metal da região, dia 14/11 e 04/12.
Carrascu: Vocês iriam tocar pela primeira vez no Splatter Night esse ano, porém o festival foi cancelado. Aproveite para explicar os motivos que levaram ao cancelamento desse evento e como a banda recebeu essa notícia?
Rafael: Frustrante, estavamos na expectativa a tempos, mas acontece. O Garagem Club fechou e não conseguiram outro local a tempo, esperamos uma nova oportunidade.
Carrascu: Bom, vamos terminando a entrevista por aqui, deixando o espaço para seus últimos comentários nela e aproveito para desejar sucesso nos objetivos da FxGxOx. Abraços!
Rafael: Em nome de todos agradecemos a oportunidade! E desejamos sucesso para a Goregrinder Webzine, esperamos colar em Floripa em breve novamente!
Convidamos a galera para acessar o nosso myspace: www.myspace.com.br/fxgxox e curtir uma pancadaria violenta heheh... Abraços a todos que apoiam a cena Underground!
Compartilhar

Envie seu comentário sobre essa matéria!

Nome:
E-mail:
Texto:
=

Parceiros