O Offal é uma banda relativamente nova, que teve seu início como um projeto sem grandes pretenções, mas que aos poucos foi se tornando uma banda mais levada a sério e cada vez mais vem conquistando um público e agradando muitos que os vêem ao vivo. Com o lançamento do CD auto-intitulado, a banda ganhou ainda mais nome. Nessa entrevista, André (que também toca na lendária banda Lymphatic Phlegm) nos conta mais sobre essa banda, que tem planos de mais lançamentos em breve.

Entrevista feita por Carrascu e publicada no dia 12/02/2008
Carrascu: Dae André! Valeu por ceder essa entrevista para a GoreGrinder cara. Bom, pra começar como é de costume, conte-nos um pouco sobre a história da Offal, como surgiu a idéia de criá-la, os integrantes que passaram por ela e etc.
André: Leia a biografia da banda clicando aqui.
Carrascu: Como consta na biografia da banda, o primeiro show de vocês foi "conturbado", por quê? O que houve?
André: Na verdade essa apresentação conturbada foi com o Orgy In Excrements, banda precursora do Offal, mas esta é uma ocasião que não vale a pena ser lembrada, afinal estamos falando do Offal!
Carrascu: Vocês tiveram muitas mudanças na formação da Offal, que hoje conta apenas contigo como único integrante da formação original. Como você explica esse fato? Quais seriam os principais motivos para tantas mudanças desde 2002?
André: Na verdade não tivemos muitas mudanças de formação, apenas uma vez mudamos de baterista, uma vez de guitarra / vocal e tivemos a entrada do João no baixo, pois na formação original e na gravação do primeiro CD, o Daniel desempenhou ambas as funções e até então, não tínhamos intenção de tocar “ao vivo”! As saídas do Daniel (Guitarra / vocal) e do Chrystian (Bateria) se justificam pelo fato de na época nós termos criado o Offal apenas como um projeto, apenas para fazer algo que gostávamos relacionado às bandas que ouvimos freqüentemente! Como, com o passar do tempo à banda tomou aspecto de “banda” mesmo, ou seja, ensaios mais freqüentes, apresentações, viagens, custos... tudo isso colaborou para a saída de ambos, pois eles nunca tiveram esse intuito, essas intenções, então... Mas foi tudo muito natural, todos somos grandes amigos e felizmente hoje estamos com uma formação bem sólida e estabilizada!
Carrascu: Em toda a história da banda, certamente de muitos momentos difíceis, pois ter banda underground no Brasil é longe de ser fácil, mas nos diga, em sua opinião, qual foi o momento mais difícil em que a Offal passou ou está passando caso seja hoje em dia e por quê?
André: Carrascu, como a banda começou como um projeto, nós nunca se preocupamos com nada, mesmo depois de a banda ter sido levada a sério nunca nos preocupamos muito com isso ou aquilo, sempre deixamos as coisas acontecerem naturalmente, nunca fizemos imposições ou fizemos questão de se conseguir uma ou outra coisa em específico, apenas seguimos fazendo o que gostamos sem pressão alguma e as coisas foram acontecendo! Mas quanto a um momento difícil, na verdade foi algo mais chato mesmo do que difícil eu diria! Foi na época da saída do Chrystian da banda, pois estávamos com duas apresentações marcadas para o interior de SP e algumas semanas antes ele nos avisou de sua saída, desta forma tivemos que cancelar a viagem e tudo mais, isso foi realmente muito chato e constrangedor, pois tivemos que cancelar tudo! Mas esse ano se tudo der certo, estaremos indo pra lá cumprir com nossa palavra e fazer o que não foi possível o ano passado!
Carrascu: Vocês gravaram o primeiro material auto-intitulado em 2004, porém somente em junho de 2006 vocês conseguiram lançá-lo. Qual foi o motivo, ou motivos, dessa demora?
André: Quando nós gravamos o material do CD ainda éramos somente eu, o Daniel e o Chrystian! Gravamos apenas com o intuito de ter aquele material como lembrança de algo que fizemos juntos, nada mais! Fizemos algumas cópias para alguns amigos, porém nada mais do que isso! Certa vez o Renzo me escreveu e disse que estava com planos de começar um selo, então pensei em mandar o material para ele, afinal era um selo novo, uma banda nova e totalmente desconhecida, enfim... O Renzo felizmente gostou do material e resolveu lançá-lo, para nós foi uma felicidade enorme, pois teríamos aquele material lançado e de forma oficial e profissional! O lançamento do CD certamente colaborou e muito para darmos andamento nas atividades como banda mesmo. Somos eternamente gratos ao Renzo por ele ter acreditado na gente e ter feito com que o CD se tornasse realidade e agora ainda mais com o lançamento do split ep! HAIL THE HOLE PRODUCTIONS!
Carrascu: Um fato interessante que eu notei no CD de vocês é a última faixa, onde vocês pegaram quatro músicas do Autopsy e despedaçaram-nas, formando uma música com pedaços de cada uma. De quem foi essa idéia? Como foi o processo de escolha das músicas e montagem desse "medley"?
André: Cara, o Offal só existe por causa do AUTOPSY! Eu, o Daniel e o Chrystian sempre fomos fanáticos por essa banda, para nós a maior e melhor de todas, SEMPRE! Desta forma como fizemos as músicas totalmente influenciadas por eles, resolvemos que deveríamos fazer um cover também, afinal nada mais justo! Mas eram tantas músicas que queríamos tocar que o Daniel acabou tendo a idéia de fazermos um “medley”, ou seja, juntar algumas músicas fazendo uma só! Então escolhemos as músicas, ele montou e acabamos gravando! Gostamos muito, muito mesmo desse som, e este certamente será presença certa no set-list do Offal SEMPRE! HAIL AUTOPSY, HAIL MASTERS!
Carrascu: Você sabe dizer quantos CD's já foram distribuídos? Quais opiniões vocês tem visto do público e da mídia especializada sobre esse CD?
André: O CD teve sua prensagem oficial de 1000 cópias! Não sei lhe precisar quantas cópias já foram distribuídas, mas nossa porcentagem já acabou faz muito tempo e a última vez que o Renzo me passou essa informação parece que ele não tinha muito mais do que 150 cópias, então creio que logo, logo o CD estará esgotado, sold-out! Na verdade até hoje você foi o único que fez uma resenha do CD aqui no Brasil assim como uma entrevista, as demais foram todas do exterior, porém como sabemos, isso não é nenhuma novidade! Felizmente os comentários foram muito positivos, muito bons mesmo! O pessoal conseguiu captar a idéia que queremos passar e principalmente o sentido do resgate da imortal tradição OLD-SCHOOL! THE OLD GORE CULT LIVES!
Carrascu: Como tem sido os shows da banda? Pelo menos o show que eu vi no Splatter Night foi arrasador, e na abertura do Agathocles em Joinville também foi demais. Tem sido sempre assim a interação da banda com o público? Qual dos shows que vocês fizeram foi o mais marcante e por quê?
André: Felizmente a resposta do público tem sido bem positiva, fizemos apenas quatro apresentações até hoje e todas foram muito positivas, além de serem muito importantes, pois tocamos ao lado de grandes bandas como Flesh Grinder, Stoma, Pulmonary Fibrosis, Agathocles, entre outras... O mais legal é que as pessoas procuraram conhecer a banda antes e muitas já chegam às apresentações conhecendo as músicas e tal, alguns pedem uma ou outra música e isso é muito divertido! Talvez por coincidência, todas as vezes que tocamos foram em Joinville / SC, por isso estamos ansiosos para ver a reação do pessoal de outras cidades, logo devemos fazer alguma apresentação em algum lugar onde não estivemos antes e ver qual será a reação do pessoal, Florianópolis seria uma delas, mas... enfim, aguardemos!
Carrascu: Sobre o show que vocês iriam fazer no dia 09/02 aqui em Florianópolis, mas não puderam vir, quais as explicações para esse furo?
André: Nosso baterista, no início de janeiro, recebeu uma ótima proposta de emprego, e neste novo emprego geralmente ele vai trabalhar aos finais de semana, desta forma infelizmente coincidiu uma de suas atividades com a data do último dia 09 de fevereiro quando era para nós tocarmos por aí, sendo assim infelizmente não foi possível. Uma pena mesmo não ter sido possível tocarmos aí junto a outras grandes bandas e grandes amigos, mas certamente haverá outras oportunidades!
Carrascu: Agora nos fale sobre os planos da banda, sei que estão para lançar um split com os australianos do Bowel Fetus mas ainda não saiu, apesar da parte de vocês estarem tudo pronto. Quais são os motivos que impedem esse lançamento? Sairá pela The Hole Productions também?
André: O grande Renzo / The Hole, está trabalhando muito para lançar esse split ep! O grande motivo que inviabilizou o lançamento foi o fechamento da fábrica de vinil no RJ, pois como todos devem saber, esta era a única fábrica que ainda prensava vinil no Brasil! Tudo já estava praticamente certo para o ep ser prensado lá, mas aí eles resolveram fechar as portas! Desta forma o Renzo teve que buscar uma alternativa para tornar esse lançamento realidade e o material vai ser prensado no E.U.A via Archer Records! Logo ele deve dar entrada na produção da capa / encartes e dentro de mais algumas semanas tudo deve estar pronto, aguardemos! Nossa parte contará com quatro músicas inéditas e estamos muito ansiosos pelo lançamento desse split ep, pois será o primeiro lançamento oficial do Offal com o João (baixo), e Tersis (guitarra/vocal)!
Carrascu: Depois desse split, há alguma previsão para um próximo lançamento? O que seria?
André: Sim, sim, nosso grande objetivo em 2008 é finalizar e gravar nosso segundo full-length CD e quem sabe um novo split ep! Infelizmente não posso lhe precisar exatamente quando ele ficará pronto e será lançado, pois isto depende de uma série de fatores, mas este certamente é nosso principal objetivo!
Carrascu: Você acha que hoje em dia o cenário splatter/grind/gore no Brasil tem crescido bastante? Quais motivos justificam sua resposta em sua opinião?
André: Eu NUNCA acreditei nessa história de cena “splatter/gore” no Brasil, tudo o que você ouvir nesse sentido é balela e quero ver quem prove o contrário! O que sempre existiu, isso sim, foram alguns poucos abnegados que dedicaram boa parte de suas vidas em prol de algo que para eles é muito mais do que apenas um gênero musical e sim um sentido de vida! Será assim sempre, pessoas, bandas, isto tudo é um ciclo que vem e vai, agora os que permanecem de verdade são poucos, acredite!
Carrascu: Pra encerrar, destaque algumas bandas nacionais que você acha foda atualmente e aproveite esse espaço para seus últimos comentários nessa entrevista. Agradeço pela atenção e que a Offal trilhe por um bom caminho e continue assim, destruindo tudo em seus shows!
André: Cara não vou mencionar nomes, pois eu poderia esquecer o nome de alguma banda e isso não seria justo! Muito obrigado mesmo de coração por seu total apoio ao Offal e por nos ceder espaço para falar um pouco sobre a banda! Aqueles que quiserem nos contactar ou conhecer um pouco mais sobre o Offal, basta acessar: www.myspace.com/offalxxx ou escrever para info@offalgore.com Abração Carrascu em nome de todos da banda e mais uma vez muito obrigado por todo o seu apoio!
Compartilhar
Mais sobre:
1 MP3 online:

Envie seu comentário sobre essa matéria!

Humanity Is Overrated  comentou:
projeto de grind, myspace/humanityisover
08/10/08 às 23:42 Hs
Humanextinction  comentou:
É uma pena que curitiba tenha poucas bandas no estilo.
Só o Offal, Necrotério, Amnod e o Lymphatic mesmo.
27/08/08 às 10:15 Hs
Lopes  comentou:
VIVA O BARULHON CRANDE!
17/02/08 às 20:21 Hs
Nome:
E-mail:
Texto:
=

Parceiros