Este ano a Unearthly completa 9 anos de carreria e está prestes a lançar seu mais novo trabalho, o EP "Unmercyful Personalized Bestiality" e com ele a banda fará a "Unmercyful Tour 2007" onde pela primeira vez tocará em solos internacionais. Aqui o baixista, co-fundador e único original na banda M. Mictian nos fala sobre os planos do Unearthly, além de expôr suas opiniões sobre a cena Underground, os MP3, NSBM e uma notícia quentíssima, confiram:

Entrevista feita por Carrascu e publicada no dia 25/06/2007
Carrascu: O Unearthly foi formado em 98 porém somente em 2000 se estabilizou, quando gravou a primeira demo "Blessed Are The Destroyers Of False Hope ...". Quase dois anos para achar integrantes para a banda. Sabemos que essa dificuldade é normal infelismente, mas na sua opinião, qual é a maior dificuldade em achar integrantes para uma banda underground no Brasil? Seriedade? Técnica? Dedicação? Ou o quê mais?
M. Mictian: Um pouco de cada coisa, são muitos detalhes que formam isso, mas acho que a maior dificuldade é não poder viver da música isso seria na verdade a grande dificuldade para todos porque além de tocar você tem que trabalhar estudar outros já são casados então fica difícil conciliar a vida pessoal com uma banda.
Carrascu: Verdade, não é fácil mesmo. Após essa estabilidade a banda lança duas demos e dois CD's com uma distância de tempo entre esses de praticamente um ano, e após o lançamento do segundo CD "Black Metal Commando" o co-fundador Lord Thoth sai da banda. Qual foi o motivo da saída dele e essa explica o período inativo de lançamentos entre esse CD e o EP "Unmercyful Personalized Bestiality" que será lançado em julho agora?
M. Mictian: Lord Thoth saiu porque não queria mais tocar metal extremo, ele se cansou e também tinha acabado de se casar e não tava com tempo para o Unearthly estes são os verdadeiros motivos que resultou em sua saída.
A demora em lançar material novo foi muitas mudanças de formação, faltou na verdade musicos com vontade de verdade de fazer a banda seguir em frente então esse tempo ficamos fazendo shows, mas sem lançar material nenhum.
Carrascu: Depois de um ano e meio do lançamento do primeiro CD "Infernum - Prelude To A New Reign" o Unearthly lança o seu segundo trabalho. Quais comparações você faria entre esses dois CD's? Houve uma evolução muito significativa na banda nesse curto espaço de tempo?
M. Mictian: Sim, houve uma grande evolução e é normal que aconteça, pensamos bem mais e melhor o que faríamos com o segundo disco, as composições ficaram melhores acabadas sem dizer que trabalhamos com um produtor nas gravações o Fabiano Penna acho que tudo isso se somou e acabou fazendo com que o disco ficasse melhor.
Carrascu: E sobre os shows, vocês estão se preparando para a Unmercyful Tour 2007 que passará por países da América Latina e Central. Nos dê mais detalhes sobre como estão esses preparativos, quais cidades vocês já tem confirmadas para tocar e etc?
M. Mictian: Estamos no momento agendando estes shows, temos muitos contatos e estamos organizando para que tudo saia da melhor maneira possível, mas RJ, BH, Goiânia, SP e mais estamos quase tudo acertado com Bolívia, Peru, Equador, Colombia e México, é só uma questão de tempo.
Carrascu: Será a primeira vez que o Unearthly tocará fora do país?
M. Mictian: Sim, será a primeira vez e tenho certeza que faremos máximo de shows possíveis nesta tour divulgando este novo trabalho.
Carrascu: Então, fale-nos mais sobre o EP "Unmercyful Personalized Bestiality", que após um ano de procura por gravadora para lançar esse material decidiram firmar um acordo de distribuição com a At War Records e lançar esse material de modo independente. Quais foram os motivos que levaram a banda a lançar esse material dessa forma? Houveram propostas de gravadoras que não foram de acordo com os planos da banda?
M. Mictian: "Unmerciful Personalized Bestiality" é um grande material e raro que temos em mãos, são gravações raras, gravações ao vivo (ótima qualidade) e músicas inéditas. Tentamos com vários selos para lançá-lo mas infelizmente isso é muito dificil aqui no Brasil, ninguém apóia todo mundo quer apenas morder o "bolo" mas não movem uma palha para ajudar em nada. Tivemos várias propostas sim mas nenhuma nos deixou contente então decidi fazer independente e contar apenas com uma distribuição.
Carrascu: Depois do "Unmercyful Personalized Bestiality" a banda fará a tour já citada que passará por vários países, e no ano que vem será lançado o "Ode to Chaos", que já está composto porém vocês planejam gravá-lo no primeiro semestre do próximo ano. O que os fãs do Unearthly podem esperar desse novo trabalho e quais características contidas nesse EP a ser lançado em julho tem em comum com o novo CD?
M. Mictian: Sim, temos o Ode To Chaos pronto e só falta gravar, este disco eu diria que é mais maduro, ríspido e agressivo e tenho certeza que tem as nossas melhores composições e vocês poderão constatar isso nas canções novas que estão no Unmerciful Personalized Bestiality. Já estas músicas foram compostas junto com as do Ode To Chaos, é uma prévia do que será o este novo disco inédito.
Carrascu: Quantas músicas terá esse novo CD e como vocês pretendem lançá-lo?
M. Mictian: Ode To Chaos terá 10 músicas inéditas. Primeiramente iríamos colocar um cover do Sarcófago mas não sei se realmente ele estará lá e também pensamos em lançar independente como o Unmerciful... se recebermos umas proposta boas talvez o lançamos por algum selo mas se isso não acontecer será da mesma forma do Unmerciful....
Carrascu: Agora sobre a notícia que você acabou de me dar, a respeito da saída do guitarrista Thyrr e do baterista Ishun, quais foram os motivos de suas saídas e como a Unearthly irá fazer para cumprir sua agenda agora?
M. Mictian: Sim eles estão fora do Unearthly no posto de guitarrista, já está ensaiando conosco a todo o vapor o Dennie Arawn e na bateria M.Cult que também faz parte do Cold Blood e a saída deles foi porque muita gente entra pra tocar no Unearthly e acha que vai ficar rico, mas tocar numa banda de black metal no Brasil é a mesma coisa que jogar futebol no Sri Lanka, entende?
Carrascu: Entendo o que você quer dizer, agora mudando um pouco de assunto, queria saber a sua opinião de fatos lamentáveis como vem acontecendo aqui em Florianópolis onde o povo "underground" (não dá nem pra considerar) não tem dado apoio a shows organizados por aqui, e o pior é que se vê muitos "trues" na frente dos shows bebendo e dizendo que não tem grana pra entrar, como aconteceu no show do Krisiun no último sábado aqui, e isso deu prejuízo para os organizadores. Esse tipo de gente tem em todo lugar, eu imagino, mas eu queria saber como é a cena do Rio nesse aspecto? Tem uma cena underground que realmente valoriza as bandas nacionais, frequentando shows e comprando CD's? O que você acha do Underground nacional nos dias de hoje?
M. Mictian: Este "fenômeno" acontece em todo lugar, realmente é lamentável este tipo de coisa, mas parece que estamos acostumando a conviver com isso, em todo lugar esse tipo de gente que se diz "true" está presente e na verdade não apóia em nada o underground mas temos que superar estas coisas e continuar em frente, pessoas que realmente acreditam no que gosta tem que seguir em frente e ignorar estes tipos de idiotas!
Carrascu: Concordo contigo, hoje em dia está cada vez mais raro ver verdadeiros apoiadores do Underground, inclusive a GoreGrinder está fazendo uma enquete um pouco polêmica que envolve de certa forma esse assunto, com a seguinte pergunta: "Qual sua opinião sobre os MP3?". Eu gostaria de saber a sua opinião sobre esse assunto, se de fato ajuda na divulgação ou contribui mais para a pirataria e desmotiva o pessoal a comprar CD's, ou você tem uma visão diferente sobre isso?
M. Mictian: Eu acho que atrapalha depois que este tipo de coisa ficou comum as vendagens diminuiram e muito e é em qualquer estilo até mesmo músicas que não são metal, o grande problema é que uma pessoa compra o cd e põe disponível para muitas outras pessoas baixarem, essa é a atitude que acaba sendo fator que prejudica!
Carrascu: Certo, agora sobre outro assunto polêmico, o chamado NSBM, qual sua opinião sobre esse estilo de música que vem aumentando aos poucos e principalmente o que você acha de existirem bandas no Brasil com esse ideal?
M. Mictian: Há muitas bandas NS tipo Marduk, Graveland, Gorgoroth e várias outras e todo mundo gosta destas bandas, o brasileiro tem mania de adorar o que vem de fora, o que quero dizer é que o mesmo cara que critica a banda brasileira que é NS é o mesmo que adora a banda gringa. Eu acho que cada banda deve saber o que é melhor para si só acho estranho por sermos um país mestiço com muitas misturas de raças.
Carrascu: Gostaria de agradecer pela entrevista cedida, desejar boa sorte e sucesso para o Unearthly dentro de seus propósitos, e deixar esse espaço para suas palavras finais.
M. Mictian: Eu que agradeço a você por esta oportunidade de estar aqui divulgando nossa música... e para maiores informações sobre o cd "Unmerciful Personalized Bestiality" envie email para: atwarrecords@yahoo.com.br
Compartilhar
Mais sobre:
1 MP3 online:

Envie seu comentário sobre essa matéria!

Winicios   comentou:
podemos enquadrar o unearthly como uma das mais fudidas bandas do cenário nacional totalmente excelente
15/09/09 às 17:47 Hs
Nome:
E-mail:
Texto:
=

Parceiros