O Sodamned conta agora com dois membros. Gilson Lange (bateria) e Juliano Regis (vocal) foram os integrantes que sobraram depois de oito anos de metal extremo por todo o estado de Santa Catarina. Com raras mudanças de formação na sua história, a banda perdeu dois integrantes, um baixista (Gerson Lange) e um guitarrista (Leandro Nagata). Respectivamente, um foi tirado da banda e o outro saiu por conta própria. Em entrevista por e-mail, Juliano concedeu a primeira entrevista sobre o assunto, ao GoreGrinder.

Entrevista feita por Kristian Derosa e publicada no dia 29/11/2006
Kristian Derosa: Quais foram os problemas que causaram o desligamento dos dois membros da banda?
Juliano: Meio complicado de responder isso, pois alguns dos problemas que levaram ao desligamento do Gerson em relação à banda já vêm desde o início do Sodamned, há oito anos atrás. Acho que o principal seria o fato do Gerson ter, digamos, uma opinião forte em relação às coisas, e não conseguir separar muito bem a vida pessoal da vida dentro da banda, o que acabava por atrapalhar um pouco o relacionamento entre os músicos. De qualquer maneira, o Gerson tem outras prioridades na vida dele, não se empenhando pela banda o tanto que esperávamos que ele se empenhasse, e isso vinha nos incomodando já há bastante tempo. Simplesmente alguns problemas recentes foram a gota d’água pra nós, e pedimos que ele saísse. O Japa (Leandro Nagata), pra falar bem a verdade, até agora não entendi direito por quê ele saiu, mas sei que desde que começamos a cogitar a saída do Gerson, ele disse ter desanimado, e acabou preferindo por sair também. A química musical dentro da banda realmente havia alcançado um nível muito bom.
Kristian Derosa: Com a divisão da banda, sobraram você e Gilson Lange (bateria). Em algum momento, vocês pensaram que a banda acabaria?
Juliano: Não cara. No dia em que o Gerson deixou a banda, nós ficamos aguardando a resposta do Japa, pois acreditávamos que ele continuaria conosco. Assim que eu soube que o Japa havia saído também, eu liguei pro Gilson na mesma hora: “fodeu cara, vamos ter de arrumar outro guitarrista também”. Ou seja, estamos com um lançamento pela frente, no qual investimos muito tempo e dinheiro, e o Sodamned é nosso sonho, não vamos deixar isso acabar de maneira alguma.
Kristian Derosa: Como funcionavam os ensaios durante os últimos anos, considerando que todos moravam em cidades diferentes?
Juliano: Um saco (risos). Eu passava de 7 à 8 horas na estrada a cada ensaio. Chegava no ensaio na manhã de um dia, fazíamos dois ensaios e na tarde do outro dia estava voltando pra Florianópolis, isso é realmente desgastante. Pro Gilson, a mesma coisa. Como agora passaremos a ensaiar em Guaramirim, o Gilson acabou se dando bem, e eu, vou continuar me fodendo (mais risos).
Kristian Derosa: E isso chegou a ser um problema? Você acha que isso alguma vez desestimulou a banda a continuar?
Juliano: Da minha parte, nunca, e quanto ao Gilson eu tenho certeza que também não. Algumas vezes tivemos de adiar ensaios por falta de grana para viajar, ou por confronto de agendas, já que sou vocalista da banda Austhral, que tem a agenda um pouco mais movimentada que a do Sodamned em relação a shows. Mas sempre que possível, estávamos todos lá.
Kristian Derosa: Você acha que a dedicação ao metal deve superar qualquer problema, fosse de distancia ou de ordem pessoal?
Juliano: Sim, com certeza. Foi por isso que tiramos o Gerson, pois ele acabava levando alguns problemas pessoais pra dentro da banda, o que ocasionava problemas e irritações por parte de todos. Defendo que, mesmo que ninguém viva disto devemos agir de forma profissional, separando a amizade que há entre os membros da relação que há entre os músicos. Espero que nossos ex-membros pensem assim também, visto que o negócio é recente e eu ainda não sei como ficaremos daqui pra frente, o clima ainda está estranho.
Kristian Derosa: Quanto ao split-CD que será lançado em 2007 e que foi gravado antes da divisão da banda, o que podemos esperar deste lançamento? Ele tem a mesma força de On The Gallows, de 2003?
Juliano: Então, o grande problema da nossa demo foi a produção, dada nossa inexperiência em estúdio. Mesmo assim, ela recebeu muitos elogios e foi bastante divulgada no meio alternativo. Para o próximo lançamento, investimos bastante dinheiro e tempo, fazendo sessões de gravação em São Paulo, no Da Tribo Estúdio e em Caxias do Sul, na Nitro Sound. Inclusive, este split possui músicas que foram compostas antes das músicas da demo, mas que estavam aguardando o momento certo para serem lançadas. A produção possibilitará aos ouvintes ouvirem todos os arranjos que sempre curtimos fazer, toda melodia, que acabou não soando tão evidente na demo. Enfim: mais rápido, mais pesado, mais arranjado. Esperamos surpreender o público.
Kristian Derosa: Vocês têm pressa na substituição dos membros que faltam?
Juliano: Muita. Eu e o Gilson já planejamos uns ensaios só nós dois mesmo, pra não ‘enferrujar’. Tendo em vista que vamos lançar nosso split no primeiro semestre de 2007, é imprescindível que a banda esteja na ativa para atender à demanda de shows que o lançamento irá proporcionar.
Kristian Derosa: O que você e o Gilson esperam dos músicos que vão integrar o Sodamned?
Juliano: Dedicação. Acho que é tudo. Fatores ideológicos sempre são importantes, mas quem procura uma banda como a nossa para tocar, é por quê está a par do que buscamos. Esperamos que os membros tenham em mente que o Sodamned é um trabalho sério, e não um passatempo para se divertir no final de semana. Levamos muito a sério a música que tocamos e dedicamos todo nosso tempo livre a ela. Ah, já ia me esquecendo, em hipótese alguma o novo guitarrista pode tocar melhor do que eu (risos).
Contatos:
A/C Juliano
Caixa Postal 5025
CEP: 88040-970
Florianópolis/SC

juliano@sodamned.com
gilson@sodamned.com
www.myspace.com/sodamned
www.sodamned.com
Compartilhar

Envie seu comentário sobre essa matéria!

Nome:
E-mail:
Texto:
=

Parceiros