Sem dúvida alguma todos sabem da importância dessa banda no cenário Splatter/Gore nacional. O Flesh Grinder, a mais de 10 anos na estrada e muitos clássicos lançados, recentemente fez sua primeira turnê pela Europa onde conseguiu levar aos fãs de lá o poderio do Splatter brasileiro. Logo após a turnê européia saiu o "Coroners Inquest Suit" pela gravadora norte-americana Goregiastic Records. Esses são alguns dos assuntos tratados na entrevista com o baterista Daniel.

Entrevista feita por Carrascu e publicada no dia 21/06/2006
Carrascu: Dae Daniel, como está? Começamos a entrevista explicando como surgiu a oportunidade de tocar no Flesh Grinder? Em que ano você entrou na banda?
Daniel: Bom, eu acompanho a banda de perto desde o lançamento do Anatomy & Surgery, mas já tocava com o Fabio desde então, seja em projetos que nunca deram certo (geralmente duravam um ensaio ou dois) mas também tinhamos o Ausbomben(war metal)! mas sempre toquei baixo nessas outras bandas! Em 2004 o Johnny estava indo morar na Alemanha, durante esse tempo comecei a ensaiar com o Fabio e acabou dando certo! Eles já estavam começando a compor o Coroners, o que foi muito bom pra mim pois pude participar do material novo após 4 anos da banda sem lançar material!
Carrascu: Pro pessoal ficar por dentro da história da banda. Desde que surgiu em 1993 quais foram as mudanças na formação do Flesh Grinder até hoje?
Daniel: Foram muitas e por diversos motivos! Desde a já conhecida incompatibilidade musical ou simplesmente gente que desistiu e não vive mais esse mundo!
Carrascu: A banda tem um forte nome lá fora, laçou clássicos do Splatter nacional como o "Anatomy and Surgery", "Splatter" e "Libido Corporis", no entanto até o ano passado nunca o Flesh Grinder tocou na Europa. Conte-nos como surgiu a oportunidade de fazer vários shows pelo velho continente e quais foram os melhores shows da turnê?
Daniel: Isso era algo que a banda almeijava fazia muito tempo, acredito que não tenha acontecido antes devido a constantes mudanças na formação, pois os convites sempre existiram! No ano passado sentimos que era uma ótima oportunidade pois a banda parecia estar estabilizada com a formação, e começamos a fazer os contatos e no fim foi tudo acontecendo naturamente!
Ainda houve uma baixa um pouco antes da tour com a saída do Eduardo, mas estavamos decididos, e fomos como um trio mesmo! A tour foi ótima, uma grande experiência, é algo que fica marcado não só para a banda mais também para a sua vida! na minha opinião os melhores shows foram na França, Alemanha e Slovakia, mas todos foram importantes e fizemos grandes amigos!
Carrascu: Ano passado a banda laçou pela Goregiastic Records o seu quarto "full lenght" denominado "Coroner's Inquest Suit", onde não tiveram a oportunidade de divulga-lo em sua turnê européia justamente por ter sido lançado logo após o término da mesma. Nos conte como foi a divulgação da banda na Europa? Muitos contatos importantes foram feitos?
Daniel: Sim! Infelizmente o Coroners ainda não tinha sido lançado, queriamos muito ter chego lá com material novo, já que os outros cds já haviam sido distribuídos na Europa, mas mesmo assim levamos os cds antigos e bastante material de divulgação! Todos os contatos feitos lá são importantes, com produtores de shows para uma próxima tour, pessoal de gravadoras e o mais importante é a amizade feita com as outras bandas!
Carrascu: Como foi o comportamento do público diante de seus shows? Existem muitas diferanças entre os países em que vocês tocaram?
Daniel: Bastante, o público na Itália por exemplo, é mais parado, bem frio até! Durante o show tu até pensa que eles não estão gostando, mas quando acaba eles vem te cumprimentar e pegar material da banda! Na França o público já é bem mais acolhedor e no leste Europeu é muito legal, o público lembra bem mais o brasileiro!
Carrascu: Voltando ao assunto sobre o novo CD, como tem sido a divulgação do mesmo? Fiquei sabendo que a Mutilation Records irá lançar a versão nacional do Coroner's Inquest Suit com um vídeo bônus da música "TBNCIH - Necroconsume", nos conte mais sobre esse clipe.
Daniel: A divulgação tem sido ótima na Europa e EUA por parte da Goregiastic Records, não temos do que reclamar, reviews muito positivos, outros nem tanto, o que é algo normal, afinal não se pode agradar a todos, ainda mais quando se trata de grind!hehe
Estamos satisfeitos com a divulgação desse cd, e agora mais ainda com o lançamento nacional pela Mutilation, que é uma gravadora séria que sempre apoiou o Flesh Grinder! Quanto ao video, foi uma idéia do Fabio, é bem simples, ficou bem legal, queriamos que a versão nacional tivesse algum bonus de algum show da europa, mas não deu tempo de colocarmos, mas provavelmente vamos usar esse material mais para frente!
Carrascu: E os shows de divulgação do novo trampo pelo Brasil, como tem sido? Vocês também irão tocar no tradicional festival "Splatter Night" esse ano que terá sua 10ª edição, da qual irá se realizar pela primeira vez em dois dias, nos conte mais sobre esse evento.
Daniel: Não temos feitos muito shows na verdade, gostariamos de tocar em lugares por onde o Flesh Grinder ainda não esteve como o Nordeste, Rio, SP!
O Splatter Night já virou tradição, não perderíamos o festival desse ano por nada!!! Não só porque vamos tocar, mas é uma data muito especial pois todos da banda estavam na primeira edição e o Fabio foi o principal idealizador do festival junto com o André Luiz do Lymphatic!
O festival se tornou uma grande confraternização entre todo o pessoal envolvido com o Gore e Grind em geral e a cada ano fica melhor! Esse ano o Splatter vai acontecer nos dias 7 e 8 de Outubro com 12 bandas, Inclusive o Pulmonary Fibrosis da França, vai ser insano!
Carrascu: E verdade que a banda está compondo seu próximo álbum ainda esse ano? Nos conte mais sobre os planos do Flesh Grinder.
Daniel: Estamos aproveitando que estamos passando um tempo sem shows e estamos compondo material novo sim, provavelmente devemos gravar no final do ano, mas ainda nada confirmado! Como disse antes ainda pretendemos tocar em lugares por onde o Flesh Grinder ainda não passou, acredito que esse seja o nosso principal objetvo esse ano!
Carrascu: Atualmente a cena brasileira tem se fortalecido muito com ótimas bandas e bastante shows sendo organizados. Qual sua opinião sobre a cena Splatter/Gore/Grind brasileira? Quais bandas você acha que merecem seu devido reconhecimento?
Daniel: Sim, é incontestavel que a cena Gore e Grind cresceu muito no Brasil, isso é ótimo, o Splatter Night é a prova disso! Acho que qualquer banda que se propõe a fazer um trabalho honesto e sério merece reconhecimento, ainda mais nesse meio, pois não acredito que alguém que queira tocar Grind ou Splatter esteja em busca de fama, muito menos dinheiro! Tendo em vista que é um som pouco acessível para pessoas "normais"!
Carrascu: Quando vocês estiveram na Europa ano passado, o pessoal de lá tem perguntado sobre bandas nacionais? Se sim, quais bandas no Brasil tem sido falada por lá?
Daniel: A cena brasileira é bastante respeitada lá fora, o pessoal de lá sempre pergunta de bandas como Lymphatic, Neuro-Visceral, Rot e bandas de Death Metal como Nephasth e Krisiun!
Carrascu: Valeu Daniel pela entrevista, desejo ao Flesh Grinder cada vez mais força nos seus objetivos e deixo a GoreGrinder sempre a disposição da banda para instrumento de divulgação e apoio a mesma. Esse espaço fica para seus últimos comentários. Obrigado!
Daniel: Muito obrigado pelo espaço, e a todos que apoiam a cena grind e splatter! Stay Rot!!!
Compartilhar

Envie seu comentário sobre essa matéria!

muito bom a entrevista "FLESH GRINDER" e o album "Coroners Inquest Suit" muito foda
06/01/10 às 00:13 Hs
Nome:
E-mail:
Texto:
=

Parceiros