INSALUBRE - Vivendo E Sofrendo, Sobrevivendo Ao Caos
Pode parecer tarefa complicada resenhar um cd feito por amigos de longa data. Mais ainda quando esses amigos fazem um tipo de som pelo qual o resenhista é apaixonado desde sempre. E esse é exatamente o caso da demo do Insalubre, sem sombra de dúvida! Por isso, qualquer pretensão de imparcialidade aqui vai por água abaixo...mas também foda-se!

Aliás, o que se percebe desde o começo aqui é que a banda é um verdadeiro “foda-se” na cara de muita coisa, incluindo o combalido sistema, a burguesia fedorenta, a polícia violenta das nossas cidades, os alienantes evangélicos, a escrota ditadura militar e até os ouvidos dos desavisados. Afinal, quem quiser se arriscar a ouvir “Vivendo e sofrendo, sobrevivendo ao caos” deve estar preparado para uma avalanche sonora implacável e ensurdecedora do mais brutal grind/hardcore! A linha básica seguida por Márcio (vocal), Toro (baixo), Ricardo (guitarra/vocal) e Lage (bateria) é a da porrada sem firulas, com músicas curtas (são 5 em menos de 10 minutos!), muita gritaria, peso e raiva de cabo a rabo. Pra quem gosta de comparações, talvez seja possível comparar o som desses caras com o que fizeram bandas como Disrupt ou Driller Killer, que são as primeiras que me vieram à mente, mas sabe-se que o rol de influências é bem maior.

Não sei se é necessário destacar esse ou aquele som, mas “Ruas em ebulição” é feita sob encomenda para destruir as paredes de casa e impressiona logo de cara pela velocidade furiosa, ao passo que a veia hardcore de “Desova” e “Pax burguesa” é  altamente contagiante. “Evangelizar e lucrar” é uma faixa curta, porém, bem trabalhada em suas variações rítmicas e, pra fechar o caixão, “Massa de manobra” é uma paulada que destila toda a insanidade desses caras e, de quebra, oferece uma reflexão bem pensada sobre os protestos de julho de 2013. 

Como todos os integrantes da Insalubre têm uma longa história na cena underground local, não é de se estranhar que o ouvinte deixe rodar o cd no “repeat” por várias vezes seguidas sem enjoar, porque os caras sabem muito bem o que estão fazendo aqui. Afinal, em meio a tantas propostas sonoras extremas da atualidade, o que faz a Insalubre se destacar é exatamente a experiência dos seus membros, que conseguiram lançar uma demo que está muito acima da média e vai seguir surpreendendo as mentes doentias mundo afora, sem dúvida! É de se destacar também a produção suja, pesada e, ao mesmo tempo, audível feita por Leonardo Chagas, que deixou o som no ponto certo, sem manchar a identidade da banda. Quem já os viu ao vivo – e eu tive esse prazer recentemente – sabe muito bem que a Insalubre soa exatamente assim no palco, com uma dose extra de ódio e vitalidade, é claro!

Enfim, resta-nos agora esperar por mais novidades da Insalubre, que já tem alguns sons novos em composição e, aos poucos, começa a espalhar seu barulho cheio de revolta por aí, em busca de um espaço na superlotada cena underground. Contudo, quem conhece esses caras e sua batalha pela música independente sabe que esse espaço é mais do que merecido! Nota 10!

Segunda, 22 de Dezembro de 2014
Por: Cristiano Passos
Divulgue!

Envie seu comentário sobre essa matéria!

Nome:
E-mail:
Texto:
=

Parceiros