EVIL SYNDICATE - Shadows Of Insanity
Embora o Sudeste se destaque em termos de cena nacional desde os seus primórdios, todos sabemos que o Brasil inteiro é pródigo em fornecer bandas dos mais variados gêneros de música pesada, tanto no punk/HC quanto no metal extremo. Da mesma forma, também sabemos que é muito mais fácil que um grupo do Sudeste ganhe espaço mais rapidamente na mídia do que uma banda da região Norte, por exemplo. Contudo, alguns entusiastas da cena, em seu incansável – e, por vezes, solitário – trabalho de divulgação das bandas locais, conseguem levar o nome de sua região a um patamar de maior destaque. Este é o caso do meu amigo Thony Sacrifice, dono da distro/selo Underground Brasil Distro, de Manaus, que se dedica a divulgar bandas do país inteiro, com especial atenção aos grupos de sua terra natal. Em sua última passagem aqui por Florianópolis, ele trouxe alguns materiais na bagagem, dentre os quais destaco, Glaucoma, Extremamente Tosco, Mystical Vision e Evil Syndicate, da qual gostaria de falar aqui.
 
Esta banda nasceu no final da década de 1990, mas somente estabilizou-se por volta de 2008, gravando seu primeiro registro no ano seguinte, um split cd com a banda paranaense Abuso Verbal. O material que temos aqui, entretanto, é mais recente. Trata-se do ep “Shadows of insanity”, lançado em 2013 de forma independente, contendo 5 faixas do mais puro metal extremo. Aliás, a primeira coisa que chama a atenção do ouvinte é que é praticamente impossível rotular a banda de outra forma que não seja simplesmente “metal extremo”, pois o Evil Syndicate passeia com tranquilidade pelo thrash, pelo death e pelo black metal, trazendo uma combinação de peso e agressividade de qualidade inegável. Certamente, esse já é um ponto positivo a favor da banda, pois numa época em que a maioria das bandas se esforça para ser enquadrada em algum gênero específico (que, por sua vez, se subdivide em outros subgêneros ainda mais específicos), é louvável que ainda tenhamos gente como o Evil Syndicate, que acredita que o importante é detonar um som nervoso para alegria da turma, em vez de se filiar cegamente a algum segmento restrito, tolhendo suas possibilidades de criação em nome de uma suposta pureza.
 
De cara, a faixa “Slaves of war” pode ser considerada um claro exemplo do que acabo de dizer: com uma pegada thrash fudida, vocais urrados na melhor tradição death metal, complementados por bases que poderiam estar em uma banda de black metal, essa música realmente explode no alto falante com fúria, deixando clara a proposta do Evil Syndicate. Outro aspecto que salta aos ouvidos é que a banda domina muito bem a técnica de composição, com diversas quebras de andamento e um trabalho instrumental bastante complexo. 
 
A faixa seguinte, “Shadows of insanity”, acrescenta mais uma influência à lista da banda, com uma introdução arrastada e macabra digna do mais depressivo doom metal, caindo na pancadaria somente após os 2 minutos e 30 segundos de música. A alternância entre velocidade e ritmos mais cadenciados persiste na música seguinte, “Abyssus abyssum invocat”, cujo título remete à ideia bíblica de que uma desgraça nunca vem só (“um abismo invoca outro abismo”), transmitindo uma visão apocalíptica do futuro da humanidade, se persistirmos no atual modo de subsistência. Bem, se o apocalipse vier, certamente, o caos promovido pela Evil Syndicate vai servir como trilha sonora para esse trágico fim.
 
As duas últimas faixas, “Skull and bones” e “Destructor ego” também seguem a mesma linha técnica, mantendo um peso descomunal e muita velocidade, principalmente a última, que é a faixa mais porrada do disco, embora seja muito bem trampada. “Skull and bones”, se tocada em volume adequado ao gênero – ou seja, em alto e bom som, claro – também arrasa o quarteirão inteiro e tem uma pegada tão violenta que me faz lembrar dos últimos trabalhos do Vulcano. Excelente!
 
Enfim, o ep inteiro é bastante homogêneo e coerente com a proposta da banda de não se prender a rótulos específicos demais, apresentando um som extremo pronto pra cair nas graças do underground. Porém, aqui não se deve confundir o termo “underground” com a crueza dos sons mais primitivos do submundo, pois o material mostra um cuidado em termos de gravação e estética de uma banda bastante profissional e honesta, que almeja e tem grandes chances de se destacar na cena.

Domingo, 16 de Maro de 2014
Por: Cristiano Passos
Divulgue!

Envie seu comentário sobre essa matéria!

Adelino  comentou:
Parabns ao Thony, guerreiro das antigas e Evil Syndicate, que de forma lenta mas slida est conquistando seu lugar no underground nacional e quem sabe em um futuro prximo, na cena mundial.
17/03/14 às 17:46 Hs
Nome:
E-mail:
Texto:
=

Parceiros