Banda/Artista: M.D.K.
Título: Cuntanasia
Lançamento: Last House On The Right
Ano: 2008
Contatos: André L. Lazarini
Caixa Postal 3016
CEP: 13215-970
Jundiaí/SP

mdkandre@hotmail.com
deathscum@hotmail.com
damage_381@hotmail.com
andremdk@terra.com.br
Resenha por Carrascu
Publicada no dia 30/08/2009
Nota: 9,5
Muito respeitada na cena Goregrind nacional, e com um devido reconhecimento a nível mundial, a M.D.K. lança seu segundo full lenght para incrementar ainda mais o sua extensa discografia. Intitulado "Cuntanasia", o novo álbum vem com 15 faixas de um grosseiro e excelente Goregrind com muita qualidade, mostrando uma superação em comparação com o "Splatterguts", seu debut CD de 2005. Dessa vez, o trampo gráfico contou com uma simples folha de 24x12, impressas nos dois lados, sem letras e com informações diversas sobre a gravação desse material e fotos da banda, tudo na parte interna. Na parte externa temos duas capas! Sim, a capa frontal, ou melhor, a capa que vem por padrão na parte da frente quando você adquire esse CD é um desenho de uma mulher pendurada pelas mãos e pelos pés, pelada, sobre uma serra daquelas fixas sobre uma mesa, cortando sua barriga e jorrando muito sangue pelo cenário, que é completado com um cara dando pauladas em suas costas sendo observado por duas pessoas encapuzadas e vestidas de preto. Ficou muito doentia essa idéia, dando a nítida impressão do que está por vir no CD. E na parte de dentro, quando você abre a caixa acrílica e olha na esquerda, existe outra capa alternativa, que na minha opinião ficou ainda melhor que a frontal! É muito difícil descrevê-la pois é um desenho com muitos detalhes, mas os que chamam mais atenção é obviamente o cirurgião à esquerda de um corpo com pernas abertas e uma buceta enorme e bem aberta de onde sai uma tripa. A parte dos peitos dessa mulher é centralizada entre as letras MDK, e abaixo delas tem o logo da banda. Um puta de um desenho foda pra caralho e de ótima criatividade e demência gore. Todo esse trampo gráfico foi feito por Thiago Fediuk da Digital Pen Art (www.myspace.com/digitalpenartstudio) em conjunto com Erik Thurn da Digital Skeleton (http://digitalskeleton.deviantart.com), Josh Hartnett da The Art Workshop (http://www.theartworkshop.com) e Fauzi (locaporr@hotmail.com) que estão de parabéns pelo excelente trampo nas partes externas dessa folha. O único lado ruim desse lançamento, ao meu ver, foi justamente a falta de mais encarte, pois ficou muito pobre apenas uma folha com esses dois excelentes desenhos e mais a parte interna com informações e um monte de fotos dos membros da banda. Além desses desenhos que citei, existem outros tão bons quanto na parte de trás e sobre o CD, além de uma foto de uma pessoa esgaçando o seu ânus, isso na parte que fica atrás do encaixe do disco. Agora falando do áudio, a parte mais importante de todo esse trabalho. "Sodomia Sangrenta" começa com uma introdução de cerca de um minuto, logo em seguida entra todo o poderio da guitarra, que não conta com o "pano de fundo" de um baixo, mas também pudera, essa guitarra está absurdamente muito bem preenchida, com muito peso, sujeira e brutalidade, que logo em seguida recebe o apoio da ultra insana bateria que não é retona como em muitas bandas brutais por ae, aqui o que se ouve é uma completa loucura sonora tocada de uma maneira enlouquecida e destruidora, com ótima qualidade de gravação. No CD anterior, o "Splatterguts" de 2005, havia um pequeno problema quando a bateria ficava na britadeira por muito tempo - o som da caixa ia desaparecendo aos poucos. A banda se tocou disso e acertou em cheio no timbre da caixa, que agora aguenta uma britadeira ensurdecedora. O M.D.K. também caprichou nos vocais quando gravaram esse CD, o que já era muito bom agora está espetacular. Um dos grandes destaques desse play são os "Pig vocals" acompanhados de vocais dementes, outros mais guturais, e sempre mantendo a intenção de preencher bem as tijoladas sonoras que esse trio faz com grande competência. As podreiras doentias dos vocais ficaram realmente fodaços, eu não sei ao certo mas imagino que os caras tiveram bastante trabalho para gravá-los, pois são muitos vômitos, gritos suínos, berros, guturais e tudo de mais extremo em termos de vocais. Apesar das 15 faixas presentes, 9 possuírem intros, a prioridade foi mesmo fazer sons podres, sujos, brutais, dilacerantes... é lindo demais esse CD! Com certeza está entre os melhores Goregrind brazuca que já ouvi, isso se não for atualmente a melhor coisa do estilo. Uma boa variação de ritmo é demonstrada na "Semén e Secreção", que começa com uma intro sexualmente selvagem, onde ouve-se um homem bufando comendo uma mulher que geme horrores, e logo depois de 20 segundos de putaria entra um Pornô Goregrind muito pesado e podre, que não dura muito para cair na insanidade sonora que é uma característica marcante nas faixas do "Cuntanasia". Falando nisso, a faixa título é um tesão! Com apenas 57 segundos, a estupidez barulhenta e nojenta extremada aqui é de sair cortando corpos em rodas nos shows desses dementes, fantástica! A "Retalhados e Untados nos Excrementos" começa na alta velocidade e brutalidade, uma das mais extremas do CD, com vocais, guitarras e bateria sempre no máximo da estupidez sonora, fazendo um barulho ensurdecedor que faz qualquer amante do estilo delirar e se deliciar com esses ruídos em massa. Muitas das faixas são assim, é uma característica da banda que se preocupou em fazer um som mais extremo possível, e um outro exemplo seria a "Parafilia", que apesar de extrema tem partes mais cadenciadas, outra marca da banda para intercalar com a maioria da brutalidade que produz. Essa faixa começa com uma intro que, pra explicar melhor, começa assim "aaahhh vou gozar" entre gemidos e mais gemidos... são 18 segundos nessa putaria com bastante eco para chocar mesmo quem não está acostumado a ouvir esse tipo de coisa. Já a "Moedor de Cadáver" não chega a ser extremamente brutal em termos de velocidade, ela apresenta maior cadência do que as outras, mas sempre com muito peso e, como em todos os outros sons, muitos vocais insanos e dementes. Assim como o início da "Necrofeast", depois de sua intro, começa lentona também, mas não demora muito para eles quebrarem tudo numa carnificina barulhenta que a M.D.K. faz com muita autoridade no assunto.
A M.D.K. é o tipo de banda que investe mesmo na qualidade de seus materiais, aqui nesse CD é possível perceber muito bem isso. Em tempos onde boa parte das bandas de Goregrind não priorizam qualidade na gravação e até no material físico que lançam, é de dar grande destaque para essa preocupação que a banda tem com seus lançamentos. Depois de 30 minutos de muito noise brutal e insano, os tímpanos saem completamente satisfeitos se a intenção era bombardeá-los com muito barulho sujo de extrema qualidade. A evolução da M.D.K. é muito perceptível em termos comparativos com o seu debut CD "Splatterguts". Aqui a brutalidade, qualidade e insanidade são os principais fatores que elevam a banda a um patamar mais extremo dentro desse estilo, sendo referência quando se fala de Goregrind de qualidade!
Tracklist:
01. Sodomia Sangrenta 
02. Mortal Gore Incesto 
03. Maggot Cunt Fucker 
04. Canibal Sádico 
05. Anomalia Sexual Pervertida 
06. Semén e Secreção 
07. Suculento Torso 
08. Catasexual Times 
09. Cuntanasia 
10. Sopa de Carne Cadavérica 
11. Retalhados e Untados no Excrementos 
12. Parafilia 
13. Moedor de Cadaver 
14. Necrofeast 
15. Alcoholic Gore System
Compartilhar
Mais sobre:
1 MP3 online:

Envie seu comentário sobre essa notícia!

Makaluzo  comentou:
Ainda não há comentários. Eu quero ir a este site.
30/05/11 às 05:23 Hs
Erik Thurm  comentou:
Another great release from the guys who brought you the "Splatterguts", expect 'no less' than 15 tracks of pure goregrinding insanity.
05/09/09 às 00:06 Hs
Nome:
E-mail:
Texto:
=

Parceiros