Banda/Artista: Land Of Tears
Título: World Of Pain
Lançamento: Free Mind Records
Ano: 2008
Resenha por Rodrigo Simetti
Publicada no dia 14/07/2009
Nota: 7,5
A banda Land of Tears é oriunda de Duque de Caxias/RJ, inicialmente teve a proposta de fazer Death/Doom metal, contando com teclados e vocais femininos, nesse estilo a banda lançou duas demos: Canon Episcopi (2002) e Total Disgrace (2004). Após mudanças no line-up da banda o som se voltou mais ao Death Metal e a banda segue com Robson Souto (V/G), Wellington Ferrari (G), Sergio Vianna (B) e Mauro Duarte (D).
O EP World of Pain conta com uma capa bem interessante, inicialmente nota-se uma estátua de pedra que quando observada melhor tem algumas partes de metal, como canos, e também algumas partes que parecem ser uma casca de árvore ou algo assim; passando-me a idéia de uma mistura entre esses elementos formando um só. O encarte conta com a letra de todas as músicas oficiais do EP e foto de todos os membros da banda, um trabalho de arte meio confuso, mas eficiente e com impacto visual, pois notasse uma mulher e muito sangue.
Quanto à parte musical do EP, começamos ouvindo a música que leva o nome da banda Land of Tears, ela tem uma breve intro orquestrada e logo se inicia a música em uma levada cadenciada, que acaba cortando um pouco o clima feito pela intro, a música é marcada por riffs simples e várias passagens com blast-beating, lá por 3:30 minutos é apresentada uma passagem bem interessante que devia ter sido utilizada mais vezes. Canon Episcopi apresenta passagens mais melodiosas que a anterior, mas logo muda pra um death metal bem simples e rápido, mas aqui a banda utiliza demais de passagens lentas o que torna a música enjoativa, apesar de curta. Já World of Pain é o ponto onde a banda acertou, a música é a melhor desse EP! Conta com um refrão simples, mas eficiente, e a sequência de riffs ficou excelente, parece que a música foi bem mais lapidada que as demais, com todos os instrumentos se destacando. Com um começo arrastado The First Time (and the Last One) deixa o clima bem mais denso, destaque para a bateria que aqui é bem criativa e faz uso de pausas estratégicas, assim como trabalha melhor os pratos, não gostei do timbre de guitarra usado durante os solos, a deixa apagada e com o som pouco definido; a música conta com a participação de Eregion (Unearthly) e conta com a mesma orquestração do começo de Land of Tears como final. Eternal Suffering começa com um dedilhado e pratos soando, o que cria um clima bem legal, depois conta com um riff que chama para o resto da música, nessa música se nota uma clara influência de metal tradicional no som da banda, infelizmente a música é demasiadamente longa e alguns trechos parecem que foram colocados ali apenas para deixar a música maior, poderia ser melhor se fosse mais polida. Aqui se tem o final oficial do EP e começam as faixas bônus; Tormented Shadows faz parte da primeira Demo da banda, se apresenta bem diferente do som que já foi ouvido nesse EP, conta com vocais femininos e teclados, e é mais voltada ao Doom Metal. Vinho se apresenta bem massiva, acho que a menos relevante de todo o álbum. Abducted apesar de ser da fase Doom da banda tem várias passagens que remetem ao Death Metal, infelizmente está com a qualidade de gravação inferior as demais, assim como a anterior, e Winter Sadness que também tem uma pegada muito boa, mas os climas criados pelo teclado estragam, sendo essas três ultimas faixas da segunda Demo da banda. O álbum ainda conta com uma faixa multimídia que tem o vídeo clipe da música Eternal Suffering e fotos da banda.
Em geral World of Pain apresenta uma nova fase da Land of Tears, mas a banda ainda mostra um pouco de inexperiência ao finalizar as músicas, deixando algumas “pontas soltas” e não lapidando melhor cada uma delas. O EP tem excelente qualidade gráfica e de gravação, com exceção das músicas retiradas das demos que se apresentam um pouco inferiores nesse critério, espero que para um futuro álbum a banda trabalhe melhor isso. A inclusão da faixa multimídia torna o EP mais interessante ainda para aquisição e é uma excelente sacada, assim como a inclusão das músicas bônus.
Tracklist:
1. Land of Tears
2. Cânon Episcopi
3. World of Pain
4. The First Time (and the last one)
5. Eternal Suffering
6. Tormented Shadows
7. Vinho
8. Abducted
9. Winter Sadness
Compartilhar

Envie seu comentário sobre essa notícia!

Nome:
E-mail:
Texto:
=

Parceiros