Banda/Artista: Unearthly
Título: Revelations Of Holy Lies... Live
Lançamento: Free Mind Records
Ano: 2008
Resenha por Alex Neundorf
Publicada no dia 26/01/2009
Estou em mãos com o mais recente lançamento do Unearthly, uma banda que dispensa maiores comentários, afinal é, senão a maior, uma das maiores bandas de Black Metal do Brasil, e que está na ativa desde 1998 despejando ódio, blasfêmias e desgraceiras em ótimos trabalhos lançados desde então.

Em um primeiro contato, esse recém lançado “Revelations of Holy Lies... Live” (material gravado durante a turnê sul-americana) me chama a atenção em alguns pontos: em primeiro lugar, o bom gosto na apresentação do material... Em slipcase (como já o foram os relançamentos, também de 2008, “Infernum”, originalmente lançado em 2002, e “Black Metal Commando”, que fora lançado em 2003) e com um encarte/arte simples, mas objetivo e muito bem feito (com os traços característicos dos materiais anteriores: capa sugestiva e logo da banda); um segundo ponto a ser mencionado é a qualidade dessa gravação (uma vez que, vale lembrar, é um álbum ao vivo de uma banda que pratica um som extremo) que é simplesmente excelente! No lado posterior do encarte a própria banda afirma: “This álbum is 100% live. No overdubs, no editions, Just Black Metal” (créditos também para Flavio Pascarillo que foi o responsável pela mixagem e masterização). E, por fim, um terceiro ponto: o fato desse registro ao vivo trazer vários sons novos ainda não lançados em álbuns de estúdio, assim como, uma faixa multimídia ao fim do play.

Revelations of Holy Lies... Live”, que é o primeiro full ao vivo do Unearthly (já no “Unmercyful Personalized Bestiality”, EP de 2007, podíamos conferir alguns registros ao vivo da banda) inicia com uma intro chamada Opus Enial que é inédita e apresenta um clima inicial épico com base em teclados (que a banda afirma, não utilizará mais a partir de 2008) e que logo é eclipsado por sons de uma tempestade que se aproxima, seguidos de uma declaração (que podia constar no encarte). O segundo som é nomeado Imminent Slaughter e é mais uma espécie de passagem de som ou intro para a terceira faixa do play. Embora seja curta e seja despretensioso, dá para ouvir a guitarra “fritando” válvula no riff executado. O trabalho começa realmente com a faixa Insurrection of Christianity (presente no EP de 2007, anteriormente mencionado) onde já pode-se verificar uma execução muito mais brutal, com um vocal que está mais para o Death Metal, mas que mescla momentos mais scream/agudos, com uma timbragem de guitarras também (aparentemente) mais pesada e “maciça” que as versões de estúdio. O quarto som é a faixa que abre o “Infernum” e se chama Days of Storm for Christian Souls. Neste ao vivo, ela esta muito mais direta e sem a mesma sonoridade caracteristicamente Black Metal do play de 2002. Quando é anunciada Catholocaust... logo vem a mente o excelente álbum “Black Metal Commando”. E esta é a faixa mais longa do play contando com mais de seis minutos de destruição extrema. Logo em seguida vem a faixa mais aguardada do play, que é sugestivamente a sexta!!! Faixa que intitula esse lançamento, Revelations of Holy Lies é mais um hino blasfemo que vem se integrar ao já grandioso conjunto de petardos do Unearthly. Logo que é anunciada inicia o som que pode mesmo significar o momento da guinada para uma sonoridade mais brutal e que mesclará mais elementos Death Metal, supostamente, no lançamento anunciado pela banda para 2009: “Age of Chaos”!!! Destaque desta faixa para o excelente refrão “revelations... of holy lies” que é bastante marcante e fácil de decorar e cantar junto; destaco também as linhas de guitarra que me lembraram muito o Death Metal executado por bandas do leste europeu (sem maiores comparações, notadamente o Vader) e que possuem conduções com mais melodia e cadencias quebradas em alguns momentos. Vale também lembrar que, ao momento da escrita desta resenha, esse som já se aproximava das cinco mil audições no myspace da banda. Do play de 2002 vem Living Under the Sign of Blasphemy que é a sétima faixa, para logo em seguida ser apresentada mais um som inédito (faixa 08): Denial: Your Baptism. Neste som seguem-se as mesmas características apresentadas em Revelations of Holy Lies e já antecipam (eu acredito) o que virá em 2009: “Lunatics use his crutches. What I see and feel is my religion”. Som do EP de 2007, The Eyes of the Ripper é a próxima e ao vivo conservou a melodia marcante que a caracterizava na versão de estúdio. Visions of a Dying World é o som inédito mais caracteristicamente Black Metal. Extremamente brutal, ela apresenta tanto as linhas de guitarra como as linhas de voz, essencialmente ligadas às raízes da banda com os álbuns viscerais de 2002 e 2003. Enfim é anunciada a “saideira” que também é inédita, Nemesis...Humanity Infame Existence volta àquela guinada Death Metal. Destaque dessa faixa é a rapidez com que ela é executada, que acaba a tornando bastante breve (pouco mais de dois minutos). Não poderia ter fechado de melhor forma este play. Ao fim: o “Muchas Gracias” e a afirmação do orgulho de ser mais uma banda brasileira mostrando ao mundo e, em específico, a América Latina, uma sonoridade extrema e honesta de uma banda que já tem seus dez anos de estrada dedicados ao mais puro e blasfemo Black Metal.

Algo que fica marcante ao final da audição desse novo registro do Unearthly é a mudança na condução dos sons: ao vivo podemos ter uma idéia mais nítida dessas mudanças de direcionamento que, em release, a própria banda afirma: mais brutalidade, mesclando o Black ao Death Metal e sem a participação de teclados. Como últimas palavras, poderia dizer que foi um prazer ouvir esse novo álbum e que ele é recomendadíssimo para todos aqueles que curtem um trabalho muito bem trampado, com qualidade de gravação excelente para a proposta, para aqueles que ainda não conhecem a performance da banda ao vivo (assim como para aqueles que acompanham a trajetória da banda e não podem deixar de conferir um álbum recheado de sons inéditos), para entusiastas de um som extremo regado a blasfêmia e a declarações de guerra e ódio ao cristianismo e a todos os males que ele produziu e vem produzindo: “Do not let a dead man control your life” e finalizo: que venha a “Age of Chaos”!!!
Tracklist:
01. Opus Enial 
02. Imminent Slaughter 
03. Insurrection of Christianity 
04. Days of Storm for Christian Souls
05. Catholocaust... 
06. Revelations of Holy Lies
07. Living Under the Sign of Blasphemy
08. Denial: YOUR BAPTISM
09. The Eyes of the Ripper
10. Visions of a Dying World
11. Nemesis...Humanity Infame Existence 
Bonus: Black Metal Commando (Pics and Videos para PC)
Compartilhar
Mais sobre:
1 MP3 online:

Envie seu comentário sobre essa notícia!

Nome:
E-mail:
Texto:
=

Parceiros