Banda/Artista: Malkuth
Título: Destroying The Symbols Of Lies
Lançamento: Necrodemon Recordz
Ano: 2002
Resenha por Filipi
Publicada no dia 09/11/2005
Malkuth sem dúvida é uma horda bem antiga no cenário nacional onde já passaram também vários integrantes desde o inicio da banda. Vindo de Jaboatão dos Guararapes/Pernambuco desde 1993 nos tempos do ápice do Black Metal Internacional e Nacional. Com a formação atual Lord Nightfall ( vocals1993-1999, 2003 drums1999-2003), Priest Vampyr Ashtaroth: guitars, vocals (1999/2003) keyboards (1993) e Cyber Necro Daemon (Keyboads and bass).

O cd intitulado Destroying The Symbols of Lies de 2002 mostra de inicio o junto com a arte o ódio proclamado a religião (judaica-cristã, obs: Sem fundamentos NSBM.) com 9 faixas bem produzidas.

Já de inico 01- Moonblood´s Domination, com 42 segundo de introdução antes da musica percebe-se uma guitarra bem desafinada de inicio mas que faz algum sentido, algumas microafinações e aos 15 segundos a percepção de trovoes e uma mulher ou uma menina fazendo sons bem esquizofrenicos como se estivesse perdida ao caos. 42s é principio dos instrumentos dando preferencia o destaque dos teclados e bate estacas até os 1:14 onde praticamente os outros intrumentos dominam. As primeira estrofe da letra ainda é perceptível, mas fica confuso de acompanhar a letra no primeiro e segundo refrão. Aos 2:39 com a bateria ficando mais quebrada ficando mais claro o ingles e riffs mais trabalhados junto ao teclado. 3:36 acontece uma marcha na bateria dando ritmo a guitarras cavalgadas com grande criatividade. Letra desta musica se concentra em uma narrativa em poucas partes de guerra. 02- Warpagan´s Heart começa com a bateria marcando o riff contínuo e o teclado sendo muito bem trabalhado passando para um ritmo alternado. Denovo o ingles é dificil de compreender talves pelo reverb que não está tão agressivo. 1:15 a musica cria a originalidade da banda deixando um pouco o teclado atmosférico onde você escuta boa percepção e uma melodia muito boa de escutar. Retornando ao tema inicial aos 2:23 com a primeira estrofe dando o fim somente a o teclado de tema dos riffs. 03- Burn At Midnight com dedilhadas medievais e bateria de influência de povos pagãos se completa com o teclado mexendo com o clima de caça as bruxas. 1:38s sente de fundo um teclado com efeitos de vocais sombrias como se fossem almas sofrendo prontas para o refrão muito marcante "burn the body, burn the sky, burn the soul, burn at midnight". Musica mais agressiva do cd tanto musicalmente como em termos de letra demonstrando que talvez seria passagens de dor e indignação que pessoas tiveram que assistir em silêncio. Muito interresante é uma igreja nacional em chamas atrás da letra, que diz certamente o que deveria ser ao contrario do que ocorreu, na opinião da banda. 04- Devil Killing Christ Again, gritos de sofrimento junto a um teclado muito bem colocado a uma guitarra melâncolica transformam essa musica muito prazerosa de escutar. Nesta faixa aos 1:24 está bem claro a importância de não haver somente aquela monotomia do baixo acompanhado guitarra e sim seguindo seu próprio caminho. Essa musica surge como um hino de vitória depois de tanta hipocrisia que é citado na faixa anterior. 2:24 é a parte mais violenta com bate estacas na bateria seguindo depois uma linha muito bem trabalhada no ponto do quarteto ( g/b/b/k). 05- Golgotha In Flames teclado iniciado mais veloz que de todo o cd e támbem bateria melhor trabalhada no pedal e pratos. Letra bem nítida para quem curte acompanhar o que a banda está cantando junto ao som. 1:16 você começa a perceber onde está o ponto de reconhecer a caracteristica desta banda que é retocando nas musicas, é uma perfeita harmonia entre os instrumentos com guitarras abafadas mudando para os 3:08 com o destaque solo do baixo e um teclado muito bom de fundo, passa para uma guitarra que lembra sem duvidas ao um clima de "Freezing Moon" com alguns solos no fundo e harmonicos bem transparentes dando ao fim. 06- Destroying the Symbols of Lies intitulada com o nome do cd é somente um teclado com um clima de outra dimensão, lembra aquelas partes de filmes anos oitenta, ficou muito boa para refletir sobre esse nome. 07- My Last Touching Battlefield começa com um teclado mais épico depois de pausas e partes que lembram aquele Black Metal do início dos anos 90 entra aos 3:51 o grande sentimento da musica. Ficou muito boa essa parte, dando um grande gosto de escutar temas assim em cds nacionais a bateria é bem quebrada mas obedece o clima de escuridão dando parte depois a uma pausa com um violão barroco (que sugere a contra capa de uma igreja barroca sendo queimada) de clima bastante depressivo que faz você a entender o passo a passo musical deste album. 08- Insatiable Thirst for Blood monstra claramente algumas influências de Sarcófago e algumas pausas que lembram Rotting Christ, de início é a mais agressiva. Com refrões mais marcantes não pelo o fato do conteúdo, mas pela forma que é cantado. Teclado tem pouca participação (muito de fundo), ae deixaram bem claro a linha de baixo e guitarra. A bateria não se destacou como nas demais musicas, só que nesta faixa ela parece mais reta em relação a bate estacas e alternadas que fazem o peso desta musica. 09- Total Wargasm é um instrumental com um tema de fundo muito sombrio combinado com poucas notas simples. Começa uma guerra travada em campo de batalha com sons de espadas, desespero e morte. É uma boa pedida para fim de alguma coisa .

Arte Gráfica: A capa de lance é um tanque da segunda guerra mundial (lembrando o Panzer Division do Marduk) passando por uma cidade devastada pela guerra vindo para passar por cima de uma pequena imagem de uma igreja queimada (parece a que o Varg Destruiu, é familiar essa imagem) e um símbolo Judeu. A capa é em tons esverdeados com marrom dando no alto do céu o destaque para o logo, que ficou bem nítido. Por dentro mostra imagens que deram aquele ícone ao álbum, como um eclipse, um lobo, uma pessoa morta na guerra, brasão da horda, fotos dos 3 integrantes, igreja barroca nacional em chamas e também atrás do cd você verá 2 pessoas (que na verdade é a mesma) impaladas do filme Holocausto Cannibal. A arte que ficou no cd é a mesma da capa do album sem problemas na prensagem. Na contra capa atrás disso é uma foto ao vivo da banda.

Geral: A gravação ficou bem nítida em todos os pontos. O que mais chama atenção desse cd sem dúvida é o teclado muito bem trabalhado, sem aquelas frescuras que aquelas bandas power costumam trabalhar. As letras seria mais interessantes se você conseguisse acompanhar em certas partes, mas o conteúdo é de boa produtividade. É uma banda que irá agradar pessoas que curtem cd como o Thy Mighty Contract - Rotting Christ e a própria influência do Sarcófago. Em questão de peso a horda neste cd é branda por conta da guitarra, é um peno não muito agressivo que deixa mais por conta do teclado e bateria. Demonstra também que para uma banda que tenha um teclado funcionam bem, sem vistas de virtuosismo por conta dos musicos e inumeras escalas por parte de cordas e teclas
Tracklist:
  1. Moonblood's Domination
  2. Warpagan's Heart
  3. Burn at Midnight
  4. Devil Killing Christ Again
  5. Golgotha in Flames
  6. Destroying the Symbols of Lies
  7. My Last Touching Battlefield
  8. Insatiable Thirst for Blood
  9. Total Wargasm
Compartilhar

Envie seu comentário sobre essa notícia!

Nome:
E-mail:
Texto:
=

Parceiros